quinta-feira, maio 26, 2011

Quando seres humanos valem a pena...

Em alguns momentos todo mundo perde um pouco da fé na humanidade.
Mas talvez a raça humana tenha evoluído tanto por um detalhe importante: sua capacidade de se reinventar. Sentimentos são renovados, a esperança floresce de maneira perpétua, mesmo que minguada por tragédias, problemas e desgraças.
Acreditar que podemos fazer coisas melhores, sermos pessoas verdadeiramente boas e solidárias ou fazer algo DIFERENTE de verdade, que tocará a mente e os corações de seus semelhantes é uma capacidade que existe dentro de todos, sem exceção.
Alguns, com o coração meio bagunçado tem dificuldade em encontrar essa capacidade, mas ela está lá. Basta ter paciência e procurar.




Minha esperança foi renovada.

..........................................................................................................................


Eu copiei este post na íntegra do blog "Byte que eu gosto" pois além de inimitável é deliciosamente emocionante! Visite, é um bom blog de humor!

Um comentário:

LENIRA disse...

Obrigada pela visita,Cris.Estou me acostumando,mas foram quatorze anos de amor incondicional e muitos ronrons de agradecimento.Amor puro e desinteressado que está feliz só de ter nossa presença.Este amor só encontramos nos seres puros como as crianças,os animais e em algumas poucas pessoas adultas,verdadeiros anjos que Deus nos dá de presente para nos acompanhar em nossa jornada e que nós chamamos coletivamente de família e amigos.Já estou melhor,afinal,tenho em meu coração Àquele que enxuga todas as lágrimas e conforta todas as nossas tristezas:o Senhor Jesus,nosso Salvador e Consolador.Um final de semana abençoado para você junto a todos os seus familiares e a todos os seres especiais que fazem parte da sua vida.Beijos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Meu livro de cabeçeira:

Caros comentaristas:
De modo a nos poupar de atritos desnecessários aqui no blog peço aos colegas que, em suas mensagens, evitem promover inanas, coarctadas, inarmonias, agastamentos, chaças, debates inócuos, embates, embrulhadas, rabulices, encamisadas, ofensas, escaramuças, escarapelas, caceteiras, picuinhas, badernas, lides, quebra-paus, quebra-quebras, pleitos descabidos, quelelês, efervecências, questões de lana caprina, infestações, refregas, bafôs, pegas-pra-capar, pegadilhas, pegas, algazarras, pugilatos, pugnacidades, pugnas, logomaquias, peguilhas, pegulhos, brigas, quiproquós, triscas, quizilas, beiçoladas, galanas, vale-tudos, pelejas, bulhas, ralhos, beligerâncias, colisões, rolos, polêmicas idiotas, timacas, demandas, desordem, combates, gambérrias, armistrondos, remoques, campanhas insípidas, pampeiros, competências, tumultos, pancadarias, rancores, tendepás, muvucas, pendências, conflitos, confrontos, zangas, bangue-bangues, zanguizarras, tinido de armas, contendas, contenções, controvérsias destrutivas, renzilhas, choldaboldras, tropelias, oposições, provocações infundadas, sopapos, esparrames, pipocas, repontões, requestas, sarabandas, barafundas, arranca-rabos, arranca-tocos, arrancadas, arregaços, arreigações, arrepelamentos de barbas, arrepelações, porfias, jiribandas, jerimbambas, turmbambas, mirongas, sororós, barracos, porradarias, turras, derriças, certames, morticínios, arruaças, arruídos, desandas, desavenças, disceptações, discussões violentas, desfrontações, rusgas, cismas, resmungações, rosnaduras, desordens, testilhas, destruições do patrimônio público ou privado, assuadas, batalhas sangrentas, lutas desiguais, rotas, altercações, heteromaquias, retesias, estrupadas, retruques, litígios duros, afuleimações, prélios, frumentações, cruzadas, rivalidades inúteis, cavilações, reviretes, vuvus, rixas, contendas, mexeriquices, fuzilarias, bochicos e liças de qualquer espécie.
Grata
Cristina Freitas